Política

Bolsonaro anuncia demissão de Osmar Terra e nomeações de Onyx para Cidadania e de general para Casa Civil

Mudanças ocorrem após as denúncias de suspeitas envolvendo o Ministério da Cidadania

Publicada em 13/02/20 às 22:18h - 9 visualizações

por TIRSUL


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Às 16h41min desta quinta-feira (13), Jair Bolsonaro comunicou, pelo Twitter, a reforma ministerial que vinha sendo anunciada pela imprensa desde o dia anterior. O presidente demitiu Osmar Terra do Ministério da Cidadania, transferindo Onyx Lorenzoni para a pasta. Já o antigo cargo de Onyx à frente da Casa Civil foi passado para o chefe do Estado-Maior do Exército, general Walter Braga Netto.

Aguardadas com expectativa nos gabinetes de Brasília ao longo do dia, as mudanças ocorrem após as denúncias de suspeitas envolvendo o Ministério da Cidadania. A pasta contratou uma empresa suspeita de ter sido usada para desvio de R$ 50 milhões no extinto Ministério do Trabalho mesmo depois de alertas de órgãos de controle.

Interlocutores palacianos também avaliam que Terra não apresentou nenhuma marca importante em seu primeiro ano. A fila do Bolsa Família, por exemplo, chegou a 1 milhão depois de maio, quando estava zerada. Terra retornará a sua cadeira na Câmara dos Deputados, ocupada atualmente por Darcísio Perondi (MDB-RS), seu suplente.

Um dos primeiros políticos a apoiar abertamente Bolsonaro, Onyx mantém-se no primeiro escalão em um ministério de robusto orçamento após ter assistido ao esvaziamento da Casa Civil. Em junho do ano passado, o ministro perdeu a articulação política para o secretário-geral de Governo, general Luiz Eduardo Ramos. No final do último mês, teve o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) transferido para o ministro da Economia, Paulo Guedes.

A crise no entorno de Onyx teve início após a demissão de seu número dois, José Vicente Santini, pelo uso de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em viagem à Índia e à Suíça. Bolsonaro classificou a atitude como "inadmissível" e disse que o assessor deveria ter usado um voo comercial, assim como outros ministros.

Já o novo ministro da Casa Civil, Braga Netto, foi escolhido para organizar a estrutura interna do governo. O general ganhou notoriedade nacional em 2018, ao ser nomeado interventor federal no Rio de Janeiro pelo ex-presidente Michel Temer. Por 10 meses, controlou todas as forças de segurança fluminenses, incluindo as polícias Civil e Militar, em meio à eclosão da violência urbana na cidade. Passou por momentos tensos, como a morte da vereadora Marielle Franco.

Fonte: ZH




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (55)9 9691 2033

Visitas: 956910
Usuários Online: 760
Copyright (c) 2020 - TIRSUL - Estamos felizes por você estar aqui, compartilhe conosco suas idéias e comentários.