Agricultura

Além da soja: China quer miúdos, frutas, ovos, arroz, peixes e lácteos do Brasil

Intensificação das trocas comerciais deve acontecer após retomada de reuniões de comissões sanitárias dos dois países, que não acontecem há mais de dois anos

Publicada em 18/05/18 às 23:40h - 27 visualizações

por TIRSUL


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Destino de 30% das exportações do agronegócio brasileiro, a China deverá aumentar ainda mais suas compras no País, avançando sobre miúdos de suínos e bovinos, frutas, arroz, lácteos, ração animal, ovos férteis e pescado.

A expectativa de ampliação do portfólio dos produtos importados se acentuou nesta semana, após reunião de autoridades brasileiras com o ministro do Comércio da China, Zhong Shan, em Xangai.

O primeiro passo para acelerar os negócios será a retomada das reuniões da subcomissão de inspeção e quarentena agropecuária dos dois países, o que não ocorre há mais dois anos. Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a decisão foi tomada em encontro na Administração Geral de Aduana da China, órgão que aprova as condições sanitárias e fitossanitárias para o comércio de produtos agropecuários.

"Esse é o começo de um novo tempo para nossas relações comerciais", afirmou o ministro.

Os pontos a serem discutidos na primeira reunião entre autoridades sanitárias dos dois países envolvem as exportações de miúdos de suínos e bovinos, de carnes com osso, e de carnes termicamente processadas. "Isso só está sendo possível porque estamos recebendo o certificado de país livre de febre aftosa (com vacinação) pela OIE (Organização Internacional de Saúde Animal)", informou o ministro, que receberá o certificado este mês, em Paris.

Na agenda de negociações sanitárias com a China também estão exportações de frutas, arroz, lácteos, ração animal, ovos férteis e pescados.

Vistoria de frigoríficos

Até o final deste mês chegará ao Brasil uma missão técnica com veterinários chineses para vistoriar frigoríficos. O Ministério da Agricultura brasileiro apresentou uma lista de 84 novos estabelecimentos a serem credenciados.

Nem mesmo os 102 processos que o Brasil mantém contra a China na Organização Mundial do Comércio são vistos como fatores impeditivos para o incremento das transações. O Ministério da Agricultura e o Itamaraty acreditam que muitas dessas questões poderão ser resolvidas com uma boa conversa, nas reuniões.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.







Nosso Whatsapp

 (55)9 9691 2033

Visitas: 197986
Usuários Online: 55
Copyright (c) 2018 - TIRSUL - Estamos felizes por você estar aqui, compartilhe conosco suas idéias e comentários.