Agricultura

Guerra comercial entre EUA e China agitam mercado da soja

Publicada em 16/04/18 às 08:16h - 37 visualizações

por TIRSUL


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Estados Unidos e China estão deixando os mercados tensos há algumas semanas. A briga começou quando os EUA impuseram tarifas à importação de alumínio para vários países, incluindo China. Em seguida, vieram restrições específicas a produtos chineses. Esta semana, a China impôs novas tarifas aos Estados Unidos que atingem cinturão da soja americano.

De acordo com as notícias dos jornais de economia internacionais, como o Wall Street Journal, esta ameaça pode provocar mudanças drásticas no setor agrícola americano. O país asiático prometeu aplicar uma tarifa de 25% às importações de soja, milho, carne bovina, trigo e outros produtos dos EUA.

Autoridades chinesas não disseram quando as tarifas entrarão em vigor. Mas, a partir do momento em que forem aplicadas, os produtores agrícolas e pecuaristas americanos poderão sofrer os efeitos colaterais da guerra comercial entre os dois países.

Na semana passada, a China aplicou tarifas às importações de carne suína, frutas e etanol dos EUA, em resposta às tarifas da administração Trump em aço e alumínio fabricados na China.

No caso do etanol, a China já parou as importações e está em busca de novos fornecedores para sua meta de consumo de 15 milhões de toneladas. Mas a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) afirmou esta semana que o Brasil não será beneficiado, pois a maior parte de sua produção de etanol tem sido utilizada no abastecimento doméstico.

De acordo com o jornal Valor Econômico, o setor de suínos brasileiro espera ganhar mais mercado na China, para onde já exporta uma média de 4 mil toneladas anualmente. Mas há risco de que os países da União Europeia absorvam a maior parte das 20 mil toneladas que os EUA enviam anualmente para a China.

 

Consequências

O anúncio das tarifas chinesas sobre os produtos americanos abalou os agrícolas nesta quarta-feira (04.04) relacionados. A soja ficou 2% mais baixa na Bolsa de Chicago, enquanto os contratos de milho caíram 0,7%. Os estoques de fertilizantes também caíram com a perspectiva de os agricultores enfrentarem preços mais baixos para as principais safras.

Para quem está preocupado com o mercado, uma forma de acompanhar a movimentação de preços é pela plataforma da CBC Agronegócios. Todos os dias, dezenas de ofertas são feitas no site. Acompanhando este movimento, o assinante do serviço pode observar as tendências do mercado em sua região e fazer a negociação de forma direta, sem intermediários. A plataforma tem versão em inglês, para quem deseja exportar.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.







Nosso Whatsapp

 (55)9 9691 2033

Visitas: 156628
Usuários Online: 30
Copyright (c) 2018 - TIRSUL - Estamos felizes por você estar aqui, compartilhe conosco suas idéias e comentários.